Principais dúvidas sobre Cannabis Medicinal

E o mais importante: respostas objetivas e inéditas.

  • Quais substâncias presentes na Cannabis podem ser utilizadas de forma medicinal?

    Os elementos presentes na Cannabis medicinal são conhecidos como fitocanabinoides, sendo os mais abundantes e utilizados o CBD, o THC e o CBG.

  • O que é CBD?

    CBD é a sigla para canabidiol, um dos princípios ativos presentes na planta Cannabis. Com alto potencial analgésico, relaxante e antiinflamatório, o CBD é indicado para casos de ansiedade, dor crônica e autismo.

  • O que é THC?

    THC é a sigla para tetrahidrocanabinol, outro princípio ativo presente na planta Cannabis. Apesar de ter efeitos similares ao CBD, o THC possui potencial psicoativo, o que o torna menos indicado para casos de ansiedade, mas em contrapartida, mais eficaz no tratamento de epilepsia.

  • O que é CBG?

    CBG é a sigla para cannabigerol, mais um dos princípios ativos presentes na planta Cannabis. Encontrado em baixíssimos níveis, muitas vezes representando menos de 1% das substâncias presentes na matéria prima, o CBG pode ser usado para garantir a homeostase (ou equilíbrio de funções) do corpo, sendo muito eficiente no tratamento de glaucomas, inflamações e certos tipos de câncer, atuando como agente vasodilatador e neuroprotetor.

  • Quais são os mecanismos de ação do CBD e THC?

    Ambas as substâncias atuam no sistema endocanabinoide, conectando-se aos receptores CB1 e CB2 para levar o organismo a um estado de homeostase, ou seja, equilibrando no corpo fatores como temperatura, salinidade, pH, e concentrações de nutrientes e resíduos, produzindo efeitos analgésicos e antiinflamatórios.

  • Todo medicamento de Cannabis medicinal tem CBD e THC?

    Não necessariamente. Cada patologia específica exige um composto diferente para o seu tratamento. Um diagnóstico médico detalhado, seguido por um acompanhamento médico minucioso são importantes para garantir que o paciente esteja usando os princípios ativos adequados e na dose correta.

  • Qual a diferença entre Cannabis medicinal e maconha?

    A maconha é uma planta utilizada para uso recreativo (hoje conhecido como “uso adulto”), que pode ou não ser legalizada dependendo das leis de cada país. Já o termo Cannabis medicinal se refere a extratos preparados cuidadosamente em laboratório com concentrações específicas de fitocanabinoides, moléculas capazes de interagir com nosso sistema endocanabinoide para tratar diversas patologias específicas.

  • O uso de Cannabis medicinal pode "dar barato"?

    Em resumo, não. O CBD não é capaz de produzir qualquer efeito desse tipo no organismo por não ter efeitos psicoativos. Já o THC pode chegar a promover certos efeitos euforizantes quando utilizado em altíssimas concentrações. No entanto, as fórmulas permitidas pela Anvisa hoje no Brasil não são capazes de gerar esses efeitos e se concentram na busca de resultados terapêuticos.

  • O uso de Cannabis medicinal pode causar vício?

    Os medicamentos à base de Cannabis medicinal não oferecem qualquer risco de vício ao paciente quando utilizados nas concentrações adequadas e para uso terapêutico.

  • É possível sofrer overdose de Cannabis medicinal?

    Não. Os extratos de CBD e THC não são tóxicos e não possuem um ponto de saturação no organismo. Somado a isso, os extratos usados na Cannabis medicinal são puros, livres de qualquer outra substância que possa causar danos ao paciente.

  • Posso ser preso por usar Cannabis medicinal?

    Não. Apesar de não poderem ser produzidos no Brasil, a legislação que prevê esse veto aos medicamentos de Cannabis é meramente sanitária. O uso de extratos de CBD e THC não tem qualquer impedimento legal.

  • Os testes de drogas detectam o uso de CBD ou THC?

    O CBD é um composto exclusivamente medicinal, e não é detectado em testes de drogas, tendo inclusive sido retirado da listagem de substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping. Já o THC, no entanto, por possuir efeitos psicoativos, terá sua presença detectada. No entanto, os extratos de THC presentes nos medicamentos à base de Cannabis têm seu uso 100% regularizado e legalizado.

  • É seguro usar Cannabis medicinal?

    Após décadas de pesquisas em diversos centros de estudo ao redor do mundo, hoje o uso da Cannabis medicinal é extremamente seguro quando sua extração é realizada de forma correta e sua utilização é feita sob cuidadoso acompanhamento médico. Para isso, é importante que o medicamento usado seja de procedência confiável e o profissional responsável pela prescrição tenha experiência com seu uso.

  • Quais doenças podem ser tratadas com Cannabis Medicinal?

    A Cannabis medicinal pode ser usada no tratamento de basicamente qualquer patologia que afete os neurotransmissores de um indivíduo. No entanto, seu uso hoje se concentra em patologias refratárias a tratamentos convencionais, epilepsia refratária, autismo, alzheimer, mal de Parkinson, dor crônica (especialmente neuropática), doença de Crohn, depressão, ansiedade e sintomas do câncer, assim como as reações adversas causadas pelo seu tratamento.

  • Quais efeitos colaterais podem ser causados pelo uso da Cannabis medicinal?

    No início do tratamento, alguns dos efeitos colaterais mais comuns são sonolência, tonturas, dores de cabeça, diarreia, alterações de apetite e de frequência cardíaca. Além de serem muito mais brandos do que os efeitos colaterais causados por medicamentos tradicionais usados para o tratamento das mesmas patologias, muitos desses efeitos podem ser facilmente eliminados com ajustes na dosagem, o que torna crucial o acompanhamento constante de um médico.

  • Existem contraindicações para o uso da Cannabis medicinal?

    Em crianças e adolescentes, cujo sistema endocanabinoide ainda está em formação, deve-se utilizar o CBD isolado, evitando o uso do THC pelo menos até a segunda poda neuronal que ocorre geralmente entre os 18 e 21 anos. O uso de Cannabis medicinal também não é aconselhável em pacientes com doenças cardiovasculares descompensadas ou patologias psiquiátricas com alteração da sensopercepção vigente, assim como outras patologias que produzam hipersensibilidade a fitocanabinoides.

  • A prescrição de CBD e THC é legalizada no Brasil?

    Sim. A Anvisa e as entidades de regulamentação médica já aprovaram o uso da Cannabis Medicinal para ser prescrita por profissionais da saúde para as mais diversas patologias.

  • Quais são as formas de uso de Cannabis medicinal autorizadas no Brasil?

    A Cannabis Medicinal pode ser utilizada por via oral (óleo, tinturas, cápsulas), nasal (spray, nebulizadores e vaporizadores), tópica (cremes, pomadas) e retal/vaginal (supositórios).

  • Quais países já fazem uso regularizado da Cannabis medicinal?

    Atualmente, mais de 40 países no mundo todo possuem legislações que permitem o uso da Cannabis Medicinal. Além do Brasil, essa lista conta também com países como Argentina, Chile, Peru, EUA, Canadá, Israel, Alemanha, Portugal, Itália, Grécia, Bélgica, Nova Zelândia e Austrália.

  • Por que a produção da Cannabis medicinal é proibida no Brasil?

    Isso ocorre devido a um descompasso das legislações. Embora a Anvisa já autorize e regularize a prescrição e uso da Cannabis medicinal no Brasil, ainda não há regulamentação para o plantio da matéria prima, nem autorização para os processos de extração e sintetização dos princípios ativos em farmacêuticas nacionais. Pelo menos por enquanto, isso faz com que todos os medicamentos precisem ser importados.

  • Por que preciso de uma autorização da Anvisa para comprar Cannabis medicinal?

    A autorização da Anvisa não se refere ao uso, mas sim à permissão para importação do medicamento. Ao iniciar um tratamento, é preciso fazer um cadastro junto ao órgão regulador para garantir que você possa efetuar a compra recorrente do medicamento de fornecedores no exterior.

  • Como é a prescrição da Cannabis medicinal?

    A prescrição de Cannabis medicinal é feita como a de qualquer outro medicamento. O ponto importante aqui é que é preciso encontrar profissionais da saúde especializados nesse tipo de tratamento, que ainda são bastante raros no mercado. Dados apontam que apenas 1% dos 466 mil médicos no Brasil estão cadastrados como prescritores da Cannabis medicinal.

  • Por que tão poucos médicos prescrevem Cannabis medicinal?

    A Cannabis medicinal ainda é um tema muito pouco abordado na formação dos profissionais da saúde no mundo todo, mas especialmente no Brasil, exigindo a busca de especializações  complementares por aqueles que desejam se aprofundar no assunto. No entanto, o Brasil vem se firmando cada vez mais como uma referência nas pesquisas sobre Cannabis medicinal, o que com o tempo deverá democratizar o acesso à informação tanto aos médicos quanto aos pacientes.

  • Quanto tempo dura o efeito da Cannabis medicinal?

    A Cannabis tem efeito cumulativo no organismo. Nesse sentido, não existe necessariamente uma janela de curto prazo dos efeitos do medicamento, e sim uma reorganização do organismo do paciente com efeitos que podem ser sentidos após uma ou duas semanas de uso diário. O uso contínuo do medicamento é feito para garantir esse equilíbrio alcançado.

  • Existe risco de interações medicamentosas?

    Sim, tanto o CBD quanto o THC podem causar efeitos colaterais quando tomados em paralelo a outras medicações. Para garantir os melhores resultados, é crucial ter um acompanhamento constante e manter o médico responsável sempre informado sobre a situação de cada paciente.

  • Posso consumir bebidas alcoólicas enquanto faço tratamento com Cannabis medicinal?

    O uso concomitante não é recomendado pelas possíveis interações com o medicamento, que pode ter seus efeitos potencializados, desregulando a metodologia de dosagem, mas também pelo efeito do álcool no organismo que pode já se encontrar fragilizado pela patologia que está exigindo o tratamento.

  • Cannabis Medicinal pode ser usada por gestantes?

    A utilização em gestantes e lactentes carece de mais estudos e deve ser ponderada entre o médico e a paciente, mas em geral, o uso deve ser evitado.

  • Cannabis Medicinal é segura para crianças?

    Sim. A Cannabis Medicinal é segura se adquirida de laboratórios qualificados e usada nas concentrações adequadas. Há muitos anos, o uso de Cannabis Medicinal vem trazendo resultados fantásticos na melhoria na qualidade de vida de crianças portadoras de epilepsia e transtornos do espectro autista.

  • Animais de estimação podem ser tratados com Cannabis medicinal?

    A Cannabis medicinal também produz ótimos resultados no tratamento de diversas patologias em animais como cães e gatos. No entanto, é importante sempre usar medicações específicas, consultar um veterinário especializado na prescrição desse tipo de tratamento e fazer um rigoroso acompanhamento, assim como com seres humanos.